Mapa do Ensino Superior | 2015

A quinta edição do Mapa do Ensino Superior retrata fielmente o panorama do ensino superior brasileiro em 2013 (período mais recente disponível), comparando os dados estatísticos com os da quarta edição (2012), e inovando mais uma vez ao trazer dados por mesorregiões do Brasil. Além disso, essa edição traz atualizados os dados dos contratos de financiamento estudantil (Fies), após as alterações promovidas pelas Portarias Normativas nº 21, 22 e 23, publicadas pelo MEC em dezembro de 2014.

Com um PIB em 2014, de crescimento quase nulo – 0,1% – e considerado o mais fraco resultado desde a retração de 0,2% registrada em 2009 em meio a uma instabilidade global, o Brasil precisa criar novos caminhos para crescer e superar suas dificuldades econômicas. Em 2013, os dados do PIB, embora revisados para cima em 2,7% segundo
o IBGE, já mostravam um panorama nada favorável.

Mesmo assim, na educação, o mapa revela dados surpreendentes. Em 2013, na população economicamente ativa, cerca de 9 milhões de trabalhadores empregados com carteira assinada, ou 18,5% do total, tinham nível superior completo, mas o maior contingente de trabalhadores com carteira assinada era formado por pessoas com ensino médio completo: 22,1 milhões, ou 45,2%.

Em 2013, o setor da educação de nível superior no Brasil, na rede privada e na pública, empregou mais de 778 mil profissionais, dos quais 384 mil são docentes e 394 mil exercem funções técnico-administrativas, além de serem responsáveis pela formação de aproximadamente 995 mil alunos, sendo 161 mil concluintes em cursos EAD e 834 mil em cursos presenciais. Destes, 765 mil concluíram o curso pelo setor privado e 230 mil pela rede pública.

Essa edição revela, ainda, que a taxa de evasão anual em 2013 dos cursos presenciais atingiu o índice de 24,9%, sendo 27,4% na rede privada e 17,8% na pública. Nos cursos EAD, no mesmo ano, o índice chegou a 28,8%,
sendo 29,2% na rede privada e 25,6% na pública. Em relação ao número de cursos em 2013, tivemos 30.936 presenciais (20.586 na rede privada e 10.350 na pública) e 1.261 EAD (755 na rede privada e 506 na pública)
ofertados pelas instituições de ensino superior, segundo registrado entre os anos de 2012 e 2013, um crescimento de 0,1% em cursos presenciais e 9,6% em EAD. Em 2012 havia 5,9 milhões de alunos matriculados em cursos resenciais e, no ano seguinte, esse total atingiu 6,2 milhões de matrículas, um crescimento de 3,8%.

As modalidades de cursos de ensino a distância (EAD) também apresentaram um aumento bastante significativo no número de matrículas na rede privada entre os anos de 2012 e 2013, cerca de 7,2%. Já na rede pública, houve uma queda de 14,9%. Com relação aos cursos tecnológicos, no mesmo período, tiveram um crescimento de 2,2%, sendo 1,2 % na rede privada e 6,2% na pública.

Fazer download