O Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior apóia o SINDEPES/DF – Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos Particulares de Ensino Superior do Distrito Federal que iniciou uma campanha para que haja uma nova regulamentação da Lei 5.455, de 1996. O objetivo é  permitir que as instituições de ensino superior do país possam informatizar os processos de manutenção e guarda dos documentos acadêmicos, que contêm todos os dados da vida escolar de seus discentes.

“O Semesp já havia encaminhado ofício ao Ministério da Educação e a SERES – Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior solicitando nova regulamentação da Portaria nº 1.224 (18/12/2013) e alertando que o SIGA – Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo possuía falhas e não atendia as necessidades do setor privado pelas inúmeras exigências de microfilmagem de documentos, método que além de custoso, está praticamente em desuso. Hoje as IES se utilizam de documento digital, que é confeccionado por meio eletrônico e assinado eletronicamente, completamente diferente do documento digitalizado que passou por um scanner para depois tornar-se um arquivo”, lembra o diretor-executivo do Semesp, Rodrigo Capelato.

Segundo ofício encaminhado pelo presidente do SINDEPES/DF, Maurício Neves, ao ministro da Educação, José Mendonça Filho, ao ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e aos presidentes das Comissões de Educação do Senado Federal e da Câmara dos Deputados “as mantenedores em todo o país vêm observando que, além de custosa, a guarda de tais documentos impressos implica em manter espaços cada vez maiores, ficando os papéis, que vão se acumulando, sujeitos à deterioração devido à ação do tempo, umidade, insetos, roedores, e outros fatores”.

Tanto o Semesp como do SINDEPES/DF propõem o arquivamento de tais informações em ambientes virtuais e em nuvem, mais seguros que os arquivos físicos, prática totalmente em consonância com a oferta das novas tecnologias e já adotadas em cartórios e na maioria dos tribunais de justiça do país, por exemplo.

Sobre o Semesp – Fundado em 1979, o Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior congrega cerca de 200 mantenedoras no Estado de São Paulo e no Brasil. Tem como objetivo preservar, proteger e defender o segmento privado de educação superior, bem como prestar serviços de orientação especializada aos seus associados. Periodicamente, realiza uma série de eventos, visando promover a interação entre mantenedoras e profissionais ligados à educação. Dentre eles, destacam-se o Fórum Nacional: Ensino Superior Particular Brasileiro, o Congresso Nacional de Iniciação Científica e as Jornadas Regionais pelo Interior de São Paulo. Para saber mais, acesse www.semesp.org.br;  www.facebook.com/semesp/ https://www.linkedin.com/company/semesp.

Sobre o Sindepes/DF – Fundado em 1992 em conjunto com as instituições CEUB, AEU-DF, UBEC, UPIS, UNIPLAC, SETEC e da UNEB, reúne hoje 20 entidades mantenedoras de ensino superior que oferecem cerca de 250 cursos de graduação, com aproximadamente 100 mil alunos matriculados em todo o Distrito Federal. O sindicato é representante legal de categoria econômica subordinada aos interesses nacionais, que investe e administra recursos materiais e humanos em prol da disseminação do conhecimento e consequente bem-estar da população brasileira, trabalhando pelo fortalecimento do ensino superior privado. www. http://sindepesdf.org.br/index.php/osindepes

Atendimento à imprensa:

Semesp – Ana Purchio

(11) 2069-4419 / imprensa@semesp.org.br

(11) 9 4208-7576

Sindepes/DF – Paulo César Brant Campos

Fone: (61) 3966-1416

Cel. (61) 9 8570-0731