O diretor executivo do Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior, Rodrigo Capelato, apresentou nessa quarta-feira (15), um panorama econômico completo e atualizado das Regiões Administrativas de Marília (51 municípios) e de Bauru (39 municípios) durante a 13ª edição das Jornadas Regionais que aconteceu no Quality Hotel & Conv. Center, em Marília.

Segundo levantamento da Assessoria Econômica do sindicato, as matrículas em cursos presenciais na rede privada na região de Marília cresceram apenas 0,1% em 2015. Em 2014, eram 25.144 alunos matriculados no ensino superior particular e, em 2015, esse número passou a 25.178. Na região de Bauru, o crescimento chegou a 1,2% (eram 32.799 alunos matriculados em 2014, contra 33.192 em 2015).

No entanto, no levantamento dos ingressantes (que iniciam o 1º ano do curso), houve uma queda de 15,9% em Marília (9.731 ingressantes em 2014 para 8.183 em 2015) e de 15,6% em Bauru (13.302 ingressantes em 2014 para 11.221 em 2015).

O estudo levantou ainda os cinco cursos presenciais mais procurados na rede privada na RA de Marília: Direito, Administração, Engenharia Civil, Pedagogia e Arquitetura e Urbanismo. E na RA de Bauru os preferidos foram: Direito, Administração, Engenharia Civil, Pedagogia e Psicologia.

EaD

Na faixa etária de 25 anos a 44 anos, que é a grande maioria a frequentar a Educação a Distância (hoje mais de 70% das matrículas), segundo os dados apresentados, as matrículas registraram índices de queda na rede privada, em 2015, nas duas RAs. Em Marília, esses cursos tiveram um descréscimo de       -11,5% – 5.604 matrículas em 2014 para 4.960 em 2015. Em Bauru houve queda de -11,7% (8.161 matrículas em 2014, contra 7.206 em 2015).

O número de ingressantes em Marília também teve queda de -29% (3.054 ingressantes em 2014 contra 2.184 em 2015) e em Bauru o declínio chegou a  -30% (4.617 ingressantes em 2014 para 3.244 em 2015).

“A graduação em EaD tem muito a crescer, porque só nessa faixa etária hoje temos 20 milhões de brasileiros que ainda não ingressaram no ensino superior. No entanto, o mercado de EaD está muito concentrado em poucos players e modelos. É preciso se repensar o EAD que tem um índice de evasão de mais de 44% ao ano e criarmos novos modelos, mais hídridos”, disse Capelato.

Entre os cursos mais procurados na rede privada em Marília estão: Pedagogia, Administração, Serviço Social, Gestão de Pessoal/Recursos Humanos e Ciências Contábeis. Na RA de Bauru os preferidos foram: Pedagogia, Administração, Serviço Social, Gestão de Pessoal/Recursos Humanos e Ciências Contábeis.

Graduação tecnológica

“Nos países desenvolvidos, a grande inclusão no ensino superior se dá por meio dos cursos técnicos. Nos EUA, 50% dos jovens da Classe C frequentam cursos tecnológicos e na Alemanha mais de 70% estão dessa modalidade. Infelizmente no Brasil esse cursos de menor duração e focados na profissionalização, que se encaixam no perfil desses jovens vem caindo a procura (5,8% de 2014 para 2015), porque a graduação tecnológica no Brasil é extremamente desvalorizada.

Segundo levantamento na RA de Marília houve uma queda na graduação tecnológica de -9,7% nas matrículas da rede privada (1.198 matrículas em 2014 para 1.082 em 2015) e na RA de Bauru a porcentagem foi maior e chegou a -15,6% (2.486 matrículas em 2014, contra 2.099 em 2015).

Potencial de mercado

Ainda segundo dados do panorama econômico, o número de trabalhadores com ensino superior completo vem aumentando. No Brasil, comparando 2015 com 2014, cresceu 0,6%. Enquanto o número de trabalhadores com ensino médio completo apresentou queda, em 2015, de 1,2%. Em Marília, os empregados com nível superior completo,  mestrado ou doutorado, no mesmo período, passou de 35.569 para 37.504, um aumento de 5,4%, enquanto que com ensino médio completo o crescimento ficou só em 0,4%. Em Bauru, no mesmo período, o número de empregados com ensino superior completo, mestrado ou doutorado passou de 52.461 em 2014 para 47.440 em 2015, uma queda de 9,6%, enquanto que com ensino médio a queda ficou em 10,7%.

As próximas edições das Jornadas Regionais acontecerão em Santos (22 de março), Ribeirão Preto (5 de abril), São José dos Campos (3 de maio) e São José do Rio Preto (7 de junho).

Sobre o Semesp – Fundado em 1979, o Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo – Semesp congrega cerca de 200 mantenedoras no Estado de São Paulo e no Brasil. Tem como objetivo preservar, proteger e defender o segmento privado de educação superior, bem como prestar serviços de orientação especializada aos seus associados. Periodicamente, realiza uma série de eventos, visando promover a interação entre mantenedoras e profissionais ligados à educação. Dentre eles, destacam-se o Fórum Nacional: Ensino Superior Particular Brasileiro, o Congresso Nacional de Iniciação Científica e as Jornadas Regionais pelo Interior de São Paulo. Para saber mais, acesse www.semesp.org.br/portal/  www.facebook.com/semesp/ https://www.linkedin.com/company/semesp.

Atendimento à imprensa:

Ana Purchio

Fone: (11) 2069-4419

Cel. (11) 9 4208-7576

E-mail: imprensa@semesp.org.br