O Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior congrega um grupo expressivo de mantenedoras do Estado de São Paulo e do Brasil e tem como objetivos preservar, proteger e defender o segmento privado do ensino superior e prestar serviços de orientação especializada aos seus associados.

Comprometido com a inovação e a excelência do ensino superior e com a oferta de soluções para o desenvolvimento da educação acadêmica do país, a entidade mantém uma estrutura técnica especializada que realiza periodicamente uma série estudos, pesquisas e eventos sobre temas de grande relevância para o setor e promove a interação entre mantenedoras e profissionais de educação.

Fundado em 15 de fevereiro de 1979, com atuação estadual, a entidade era denominada de Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo.

Atualmente, com abrangência nacional, o Semesp – Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior tem uma trajetória marcada por significativas realizações que contribuíram para que São Paulo se tornasse o maior centro de educação superior particular da América Latina.

Presidido pelo Prof. Hermes Ferreira Figueiredo, o Semesp reúne 200 mantenedoras no Estado de São Paulo e no Brasil, representando 470 estabelecimentos de ensino superior – entre Centros de Educação Tecnológica, Centros Universitários, Faculdades e Universidades.

Até o ano de 1977, o ensino superior particular era representado nas tratativas salariais pelo Sindicato de Estabelecimentos de Ensino Comercial no Estado de São Paulo, atual SIEEESP – Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo. Por essa época, a vinculação não mais atendia aos interesses do setor nas relações com os sindicatos profissionais e o enquadramento em uma nova categoria sindical era de difícil concretização.

Diante disso, foi constituída a Associação Profissional das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo, presidida pelo Dr. Philomeno Joaquim da Costa, Reitor do Mackenzie, e, logo após, pelo Prof. Luiz Paulo Schiavon, da Organização Santamarense de Educação e Cultura (OSEC), atual Universidade de Santo Amaro (UNISA). Graças à persistência de seus fundadores e à colaboração do Dr. Argemiro Barros de Araújo, o tão almejado objetivo foi alcançado, culminando com a entrega, em 15 de fevereiro de 1979, pelo então Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, da Carta Sindical do Semesp a seus representantes.