Mapa do Ensino Superior | 2014

A quarta edição do Mapa do Ensino Superior do Estado de São Paulo retrata fielmente o panorama do ensino superior brasileiro em 2012 (período mais recente disponível), comparando os dados estatísticos com os da terceira edição (2011), e inovando ao trazer novos cenários como matrículas de ingressantes nos cursos presenciais mais procurados. Além disso, essa edição traz a procedência dos alunos que entram no curso superior e a progressão dos números de contratos firmados pelas IES com o Fies, entre 2004 e 2013, mais atualizações do primeiro semestre de
2014, quando esse trabalho foi realizado.

A publicação mostra também que em 2012, o setor da educação de nível superior no Brasil, na rede privada e na pública, empregou mais de 765 mil profissionais, dos quais 379 mil são docentes e 386 mil exercem funções técnico-administrativas, além de ser responsável pela formação de mais de 881 mil alunos, sendo 679 mil concluintes em cursos presenciais do setor privado e 202 mil na rede pública.
Essa edição revela, ainda, as taxas de inadimplência no Estado de São Paulo, em 2012, para mensalidades em atraso até 30 dias, 90 dias e mais de 90 dias, além da taxa de evasão dos cursos presenciais e a distância da rede privada e pública.

Em 2012, tivemos 30.899 cursos presenciais (20.500 da rede privada e 10.399 da pública) ofertados pelo setor e entre os anos de 2011 e 2012 foi registrado um crescimento de 4,5%. Em 2011 havia 5,7 milhões
de alunos matriculados em cursos presenciais e, no ano seguinte, esse total atingiu 5,9 milhões de
matrículas, um crescimento de 3%.
As modalidades de cursos de ensino a distância (EAD) também apresentaram um aumento bastante significativo no número de matrículas tanto na rede privada quanto na pública entre 2011 e 2012. O crescimento chegou a um total de 12,2%, sendo 14,4% na privada e 2,1% na pública. Já os cursos tecnológicos, no mesmo período, tiveram um
crescimento de 4,5%, sendo 3% na rede privada e 11,7% na pública.

A participação das IES privadas na educação superior tem sido intensificada por meio do fechamento de novos contratos de programas de financiamento estudantil. Em 2012, por exemplo, o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) do MEC contabilizava 376 mil contratos. No ano seguinte, esse total passou
a 556 mil novos contratos assinados. De janeiro a julho de 2014 já foram formalizados cerca de 538 mil contratos, o que dá uma média de 89 mil contratos por mês e perfaz um total de 1,7 milhão de contratos firmados no Brasil desde a mudança do programa, em 2010.

Fazer download