Mapa do Ensino Superior | 2013

A terceira edição do Mapa do Ensino Superior do Estado de São Paulo retrata fielmente o panorama do ensino superior brasileiro em 2011 (período mais recente disponível), comparando os dados estatísticos com os da segunda edição (2010), e inovando ao trazer novos cenários como taxas de inadimplência e evasão, percentuais crescentes da formação dos docentes, os respectivos regimes de trabalho e as matrículas no ensino superior mundial. Além disso, outra importante novidade é a progressão dos números de contratos firmados pelas IES com o Fies, entre 2004 e 2012, mais as atualizações até o primeiro semestre de 2013, quando todo esse trabalho foi realizado.

Essa edição também traz a informação sobre o Produto Interno Bruto (PIB), que registra apenas o crescimento econômico, mas, serve como um parâmetro importante para se compreender o perfil da população e dos estudantes pesquisados. No Brasil, dados de 2011 registraram um PIB total de R$ 4,1 trilhões.

Os números mostram também a participação do ensino superior na economia brasileira que representa cerca de 1% (PIB/IBGE) do total do PIB Brasil, ou seja, R$ 41,4 bilhões. Em 2011, o setor da educação de nível superior no Brasil empregou mais de 751 mil profissionais, dos quais 378 mil são docentes e 373 mil exercem funções técnico-administrativas, além de ser responsável pela formação de mais de 871 mil alunos, sendo 676 mil concluintes em cursos presenciais do setor privado e 194 mil na rede pública.

Essa edição traz, ainda, como novidade, as taxas de inadimplência no Estado de São Paulo, em 2011, para mensalidades em atraso até 30, 60 e mais de 90 dias, além da taxa de evasão dos cursos presenciais e a distância da rede privada e pública. E mostra como está o nível de formação dos docentes do Estado, nas categorias especialista, mestre e doutor, bem como o regime de trabalho dos profissionais do ensino superior, nas categorias horista, tempo parcial e integral.

Em relação ao número de matrículas nos 29.569 cursos presenciais ofertados pelo setor, entre os anos de 2010 e 2011 foi registrado um crescimento de 5,4%. Em 2010 havia 5,5 milhões de alunos matriculados e, no ano seguinte, esse total atingiu 5,8 milhões de matrículas.

As modalidades de cursos tecnológicos e de ensino a distância (EAD) também apresentaram um aumento bastante significativo no número de matrículas na rede privada de ensino superior. Entre os anos de 2010 e 2011 o crescimento chegou a 8,9% e 8,8%, respectivamente.

A participação das IES privadas na educação superior tem sido intensificada por meio da geração e fechamento de novos contratos de programas de financiamento estudantil. Em 2011, por exemplo, o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) do MEC contabilizava 154 mil contratos. No ano seguinte, esse total passou para 375 mil, e, em 2013, entre janeiro e maio, somavam-se 299 mil novos contratos assinados.

Fazer download